A emulsão asfáltica modificada por polímeros é uma evolução natural das emulsões asfálticas convencionais em que existe a presença de elastômeros que irão proporcionar propriedades físico-químicas melhoradas ao asfalto residual. Os elastômeros podem estar dispersos tanto na fase líquida da emulsão, na forma de glóbulos de látex de SBR quanto estarem dissolvidos no ligante asfáltico emulsionado, que é o caso do polímero SBS. Entretanto, uma vez que há a ruptura da emulsão e cura do resíduo, o elastômero permanece no ligante asfáltico.

Vantagens

A presença do elastômero no ligante asfáltico torna-o mais elástico, mais viscoso, com um ponto de amolecimento mais alto, menos sujeito ao envelhecimento pela presença do ar e ultravioleta, mais tenaz e coeso, permitindo que o revestimento asfáltico dure mais.

Aplicações

  1. Pintura de Ligação: RR-1C-E,
  2. Tratamentos Superficiais Simples, Duplos e Triplos: RR-2C-E,
  3. Pré-misturados a Frio: RM-1C-E e RL-1C-E,
  4. Areia-asfalto a Frio: RL-1C-E,
  5. Lama Asfáltica: RL 1C -E,
  6. Microrrevestimento asfáltico a frio - RC-1C-E.

Da mesma forma que as emulsões asfálticas convencionais, as emulsões modificadas podem ser usadas em serviços por penetração ou por mistura. Os serviços por penetração envolvem o espargimento da emulsão sobre o agregado/superfície a ser tratada e os serviços por mistura envolvem a utilização de uma usina (móvel ou fixa) que produzirá a mistura asfáltica ou pré-misturado a frio.