As emulsões asfálticas são pequenas partículas ou glóbulos de CAP suspensas em água contendo agente emulsificante. São produzidas industrialmente em moinhos de alto cisalhamento - coloidais.

As emulsões asfálticas são usadas em dois tipos de serviços: por penetração e por mistura. São exemplos de serviços por penetração o tratamento superficial (simples, duplo ou triplo), a capa selante ou banho diluído. Neste caso as emulsões são aspergidas sobre a superfície e ocorre o envolvimento do agregado ou percolação sobre a superfície onde ocorre a ruptura da emulsão e cura do asfalto residual.

São exemplos de serviços por mistura a lama asfáltica, o microrrevestimento, a reciclagem in-situ, etc. Neste caso ocorre a usinagem da emulsão com os agregados em equipamento próprio (fixo ou móvel) e, em seguida, o espalhamento da mistura.

Nos dois casos, quando aplicadas, as partículas de CAP se depositam sobre as pedras (agregado mineral) causando a ruptura da emulsão e se separam da água.

As emulsões asfálticas usadas para pavimentação no Brasil são predominantemente catiônicas (C) e são classificadas em função da velocidade de ruptura (rápida, média, lenta ou controlada) e teor de asfalto (1 - baixo resíduo e 2 - alto resíduo). São especificadas pela norma CNP n 07/88 de 06/09/88. As características de ruptura são controladas principalmente pela natureza e quantidade do agente emulsificante:

Sigla Descrição Tipos
RR Emulsão asfálticade ruptura rápida RR-1C e RR-2C
RM Emulsão asfálticade ruptura média RM-1C e RM-2C
RL Emulsão asfálticade ruptura lenta RL-1C
RC Emulsão asfálticade ruptura controlada RC-1C

Aplicações

  1. Pintura de Ligação: RR-1C e RR-2C,
  2. Tratamentos Superficiais Simples, Duplos e Triplos: RR-1C e RR-2C,
  3. Macadame Betuminoso: RR-1C e RR-2C,
  4. Pré-misturados a Frio: RM-1C, RM-2C e RL-1C,
  5. Areia-asfalto a Frio: RL-1C,
  6. Solo Betume: RL-1C, LA-1C e LA-2C, LA-E,
  7. Lama Asfáltica: LA-1C, LA-2C e RL 1C, LA-E.